Saúde

Seminário debate direito ao acompanhante no parto - 27/05/2011 17:50

O Comitê Estadual de Prevenção à Mortalidade Materna realizou na quinta-feira (26) seminário sobre o direito da gestante a ter um acompanhante durante o trabalho de parto, no momento do parto e no pós-parto imediato. O evento lembrou o Dia Estadual de Prevenção à Mortalidade Materna, que foi instituído em 1984 e é celebrado no dia 28 de maio. Cerca de 200 profissionais participaram do evento, que também foi transmitido para todo o Paraná por webconferência, por meio do site da Escola de Saúde Pública.

O seminário foi realizado pela Secretaria de Estado da Saúde em parceria com a Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Paraná (Sogipa), Associação Brasileira de Enfermagem (Aben-PR), Associação Brasileira de Enfermeiros Obstetras e Obstetrizes (Abenfo-PR) e Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos (FRS).

“A presença do acompanhante vem sendo implantada com sucesso, baseada em diálogos e co-responsabilidades, apesar das inúmeras dificuldades existentes. Uma delas é a rejeição por parte de médicos e enfermeiros. Outras dificuldades são os problemas relativos à ambiência e o pré-parto com muitas parturientes. No momento do exame obstétrico solicitam a saída dos acompanhantes. Na sala de parto vale lembrar que o acompanhante é escolhido pela gestante e nem sempre é o marido”, explicou a facilitadora do Ministério da Saúde para o Nordeste e Amazônia Legal, Benta Lopes, no relato que fez sobre a experiência vivenciada em Imperatriz no Maranhão.

Hoje, o Estado tem um índice de 48 mortes por 100 mil nascidos vivos (dados de 2009). O comitê paranaense trabalha para reduzir os índices de mortalidade materna para atingir, até 2015, a meta estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que é de 22,6 mortes por 100 mil nascidos vivos.

O seminário serviu também para conscientizar os profissionais da área de que 82% das mortes maternas ocorridas no estado são evitáveis com medidas simples de vigilância do risco gestacional e da qualidade na assistência prestada. A coordenadora do Comitê Estadual de Prevenção à Mortalidade Materna, Eliana Carzino, apresentou a epidemiologia das mortes maternas nos últimos 20 anos. “A primeira causa das mortes maternas diretas é a doença hipertensiva específica da gestação, seguida das hemorragias, infecções e aborto”, explicou. Segundo ela, o preenchimento incorreto dos atestados de óbito e dos campos 43 e 44 na Declaração de Óbito contribuem para a subnotificação, isto ocorre em cerca de 40% dos casos.

A coordenadora da divisão da Saúde da Mulher, Rogéria Fadel, explica que o Programa Mãe Paranaense será o carro-chefe da rede materno-infantil no Paraná e deverá ser implantado no segundo semestre deste ano em todo o Estado. Ela destaca que a construção do programa é coletiva. As redes de atenção à saúde da mulher estão sendo construídas a partir da atenção primária, da assistência pré-natal, da avaliação institucional de hospitais que realizam partos. “Rotinas e protocolos assistenciais elaborados pela academia serão implantados e haverá treinamento contínuo de recursos humanos, além da rede de monitoramento a gestantes e crianças de risco. Estas estratégias certamente impactarão nos indicadores de morbimortalidade materna e infantil”, disse.

A promotora de Justiça do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Defesa da Saúde Pública no Paraná, Fernanda Garcez, salientou que a Lei do Acompanhante no Parto deve ser cumprida para a gestante usuária SUS - no pré-parto, parto e pós-parto imediato (até 10 dias), uma vez que na maioria dos convênios a presença do acompanhante é permitida. “Os hospitais devem se adequar para cumprir a lei”, disse. A diária do acompanhante deve ser incluída na guia de internamento.

Ao final do evento foi formada uma comissão para avaliar sobre a realidade da presença do acompanhante no parto e o cumprimento da lei 11108 de 7 de abril de 2008 nos hospitais do Paraná.

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:
  • Imprimir
  • Recomendar
  • Compartilhe
  • PDF
  • Inicial
  • Voltar

O que já publicamos sobre:

Últimas Notícias:

Leia mais