Agricultura

Emater faz 55 anos e adota novo modelo de gestão - 18/05/2011 16:10

A Emater comemora em 2011 o 55° aniversário de instalação do serviço oficial de assistência técnica e extensão rural no Paraná. A data, que será comemorada nesta sexta-feira (20), marca o início da implantação de um novo modelo de gestão administrativa e de relacionamento com parceiros e agricultores. “Nosso compromisso é tornar o Instituto mais dinâmico e próximo dos agricultores com o objetivo de aumentar a eficácia de toda a ação que desenvolve”, explica Rubens Ernesto Niederheitmann, diretor-presidente do órgão.

Ele informa que a reestruturação da Emater já ganhou o aval do governador Beto Richa, que autorizou a contratação de 100 servidores a cada ano do mandato, o que significa 400 novos profissionais até o final de 2013.

Segundo Niederheitmann, a recomposição do quadro próprio, o resgate da eficácia gerencial e a adoção de uma política de qualificação contínua e de valorização dos profissionais do Instituto são condições para que a Emater retome a condição de referência nacional na área.

Em mais de meio século de existência, a instituição chegou a ser considerada uma das três melhores empresas de extensão rural do Brasil. No entanto, ficou 16 anos sem contratar técnicos e os efeitos dessa defasagem são sentidos na ponta – ou seja, pelos produtores rurais. “Atualmente temos 40 municípios no Estado sem um extensionista”, informa Richard Golba, diretor-administrativo da Emater.

Golba destaca ainda que por decisão do governador Beto Richa o Estado também vai alocar recursos para sustentar e melhorar a infraestrutura física e operacional do órgão, que dependia de convênios com prefeitura para manter bases ativas em dezenas de municípios. “Antes o governo só queria pagar os salários”, relata Rubens.

O aumento das transferências de recursos do Estado para este fim será gradativo. Neste primeiro ano, os 100 municípios mais pobres do Estado deixarão de pagar a taxa de convênio com a Emater. Em quatro anos, todos os demais estarão livres desse repasse. “O dinheiro poupado pelos municípios deve ser reinvestido em novos serviços para os agricultores, como a contratação de técnicos ou compra de equipamentos”, informa Golba.

RESULTADO – O secretário de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, recomendou que a administração da Emater adote contratos de gestão por resultados para ter condições de aferir a eficiência de todo o serviço prestado. Diante disso, uma série de mudanças operacionais foram estabelecidas. “Estamos promovendo uma recomposição do ambiente gerencial, devolvendo a capacidade de acompanhamento efetivo das ações”, explica o diretor-técnico, Natalino Avance de Souza.

Nos próximos anos, a Emater vai trabalhar como braço operacional de uma série de programas e projetos da Secretaria da Agricultura que visam melhorar a renda e a qualidade de vida no campo, garantir a sustentabilidade dos recursos naturais do Estado e assegurar condições de segurança alimentar.

“Em paralelo ao apoio que estamos recebendo do atual governo, vamos trabalhar forte para estabelecer parcerias estratégicas com outras organizações e gerar serviços de melhor qualidade em benefício dos agricultores”, informa Rubens Ernesto Niederheitmann.

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:
  • Imprimir
  • Recomendar
  • Compartilhe
  • PDF
  • Inicial
  • Voltar

O que já publicamos sobre:

Últimas Notícias:

Leia mais